Quem somos nós

Contato geral: blogpercepto@gmail.com


Bruno Marinho de Sousa


make gif

Breve história: viveu a tenra infância e toda a puberdade em Catalão, no mais bruto cerrado goiano. Gosta de galinhada, massas e carne muito bem passada. 
Por onde passou: Uberlândia, onde se graduou em Psicologia. Em 2006 entrou no mestrado em Psicobiologia, em Ribeirão Preto, e concluiu seu doutorado em 2013. Também fez doutorado sanduíche em João Pessoa (SWP) no LPNeC, sob a supervisão do professor Dr. Natanael Antonio dos Santos.
Onde está: Atualmente é professor da disciplina Processos Cognitivos e o Exercício da Gestão de Pessoas, no mestrado profissional em Gestão Organizacional, da Universidade Federal de Goiás (UFG), Regional Catalão.
Interesses acadêmicos: percepção, processos cognitivos, Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) e divulgação científica.
Interesses gerais: literatura, Chaves & Chapolin, séries música, cinema (de preferência os velhos), quadrinhos, South Park, Bob Esponja, Hora de Aventura e Hermes e Renato.

Site Pessoal:  Psicologia Catalão
Currículo: Currículo Lattes & Linkedin
 

Leonardo Gomes Bernardino

Mineiro, o sotaque e a preferência por queijo não deixam dúvidas. Fala que é da “roça”, sua música preferida é “Tristeza do Jeca”, mas nunca andou a cavalo.

Usou aparelho ortodôntico por 6 anos, por isso nunca sorri nas fotos. Leu Cortázar aos 13 anos e viu “Sonhos” do Kurosawa aos 14 e acha que isso explica muita coisa. O resto é explicado por já ter visto sua perna em chamas, um encontro pessoal com a Hanna Montana e uma multa na Polônia.

Deu aulas de Física para o Ensino Médio e não terminou a graduação em Geografia. Após formar-se em Psicologia, mudou-se para Ribeirão Preto-SP. Lá fez Mestrado e Doutorado. Parte deste foi realizado na Universidade de Barcelona (UB) - Espanha, tendo saudade das estações do ano bem definidas.

Por seis meses morou na capital brasileira, onde foi professor substituto no departamento de Processos Psicológicos Básicos na Universidade de Brasília (UnB). Por 3 anos lecionou na Universidade Federal Fluminense (UFF), no Polo Universitário de Campos dos Goytacazes, sobrevivendo ao calor e ao chuvisco. Atualmente é professor adjunto no Instituto de Psicologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Sua missão atual é que o número de países visitados seja maior do que o número de anos vividos.
(Texto informado pelo autor)

Contato: lgbernardino@ufu.br 


Rui de Moraes Jr.


Cresceu brincando na rua com seus amigos. Jogava futebol com traves feitas de havaianas e subia nas mangueiras da chácara que havia em frente a sua casa e dentro do campus da Univ. Federal de Uberlândia, situado ao final da rua onde morava. Quando completou 18 anos, passou cursar Psicologia lá.

Lá fez pesquisas em avaliação psicológica e avaliou mais de 500 crianças em escolas públicas, atendeu pacientes do SUS pela clínica escola  e foi responsável pela seleção de funcionários de uma indústria. Então decidiu partir para a pesquisa básica. Fez mestrado e doutorado em Psicobiologia na Univ. de São Paulo, em Ribeirão Preto. Passou um ano durante o doutorado em Montréal, no Canadá, e assistia partidas de hockey regularmente. Pesquisa e estuda assuntos relacionados à percepção visual, emoções, especialização hemisférica e neuropsicologia.

Atualmente mora em São José dos Campos, é docente na rede privada e faz formação em neuropsicologia clínica. Além disso, tenta dividir seus finais de semana entre a Serra da Mantiqueira no sul de Minas e as praias do litoral norte paulista.
(Texto informado pelo autor)

Contato: ruidemoraesjr@gmail.com